Review: As Peças Infernais – Cassandra Clare

Capas originais.

Capas originais, respectivamente, de Anjo Mecânico, Príncipe Mecânico, Princesa Mecânica.

A trilogia de fantasia urbana As Peças Infernais (Anjo Mecânico, Príncipe Mecânico, Princesa Mecânica) é prequel de Os Instrumentos Mortais, se passando 130 anos antes na Inglaterra vitoriana. Conta a história de Tessa Gray, que vai para Londres viver com o irmão mais velho, para então ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, as quais pretendem casá-la com um líder do Submundo – seu contratante Mortmain – e forçá-la a utilizar seus recém-descobertos poderes de se transformar em outras pessoas a serviço de Mortmain e seus autômatos numa guerra contra Os Caçadores de Sombras (guerreiros que protegem o mundo dos demônios e membros do Submundo).

Salva e oferecida abrigo pelos Caçadores de Sombras do Instituto de Londres, Tessa envolve-se num triângulo amoroso com os Parabatai (e melhores amigos) Will e Jem, enquanto tenta descobrir a verdade por trás do seu nascimento e de sua habilidade. Enquanto o triângulo certamente é capaz de dividir os leitores entre os “times” do Will ou do Jem, em nenhum momento Tessa é tratada como um objeto a ser disputado com um vencedor ganhando seu coração, e a amizade entre os garotos é um dos pontos fortes da saga.

As Peças Infernais

Anjo Mecânico é um começo excelente, com sua heroína então uma donzela em perigo que já dava sinais de independência; Príncipe Mecânico desenvolve o triângulo e as personagens, fazendo jus ao seu papel como meio, e mostra uma protagonista ativa em sua história; para então Princesa Mecânica provar-se um desfecho digno e satisfatório, completando o crescimento de Tessa Gray e provando-a capaz de salvar-se e aqueles que são queridos para ela (assim como a toda raça de Caçadores de Sombras).

Enquanto o mistério da origem de Tessa é decifrável com as “dicas” dadas no segundo livro, a execução e os pormenores compensam pela falta de surpresa no momento da revelação no último. Mortmain é um vilão com profundidade e seu ódio é compreensível, o que em certa parte até confere um sentimento de “justiça” diante ao que foi capaz de realizar de sua vingança (não fosse pelas inocentes prejudicadas com ela e seus planos para Tessa e o mundo). Por fim, é na trama com Charlote Branwell (uma mulher em posição de poder numa época machista e desigual) e o feminismo nela presente que a trilogia brilha.

Triângulos amorosos são controversos e por vezes os casais secundários são tão ou mais interessantes e com As Peças Infernais, com pares secundários formidáveis, não é diferente. Seja com qual partido tomar, o leitor sairá parcialmente alegre no final (e se apreciar ambos, a alegria será em dobro). O que para alguns possa parecer uma escolha fácil e covarde por parte da autora, é interessante e diferente por sua raridade e subversão do clichê. Tessa é imortal e condená-la a um único amor mortal em sua vida seria uma crueldade desnecessária.

As Peças Infernais não é recomendável para aqueles que são alérgicos a romances. Embora não gire completamente em torno da vida amorosa das personagens, é sim uma parte fundamental do enredo. Para os que detestam triângulos amorosos, mas não se importam de ler desde que possua uma boa execução, vale a leitura. Para os amantes de triângulos: está esperando o quê para começar a ler?

Aviso com spoilers: é no triângulo onde está a bola fora do livro Princesa Mecânica, pois para evitar que fosse considerado “adultério” à justificativa para a “cena tradicional de sexo na literatura juvenil norte-americana com heroína no último volume”™ é a falsa morte de uma das personagens. E, francamente, antes uma protagonista adultera que uma que supera a morte do noivo cinco minutos após descobrir (“horas” de sofrimento não narradas não compensam pelas páginas do pré-coito).

A Edição

A escrita de Clare é direta e adequada à velocidade do enredo, mostrando claro avanço da sua narrativa para o início de Os Instrumentos Mortais, e deixando o brilho para as personagens. A parte técnica garantiu que a editora Galera Record tenha minha simpatia, embora a última capa em seu tom de sépia esteja um pouco escura. A edição é competente, entretanto, Princesa Mecânica traz um erro em uma de suas orelhas (“Charles Branwell” no lugar de “Henry Branwell”). O detalhe com brilhos na capa é um belo bônus da edição brasileira. E falando de bônus, a edição nacional possui os dois extras que vieram com as primeiras edições norte-americanas.

Anjo Mecânico, ISBN: 8501092681 (preço de capa R$40,00)

Príncipe Mecânico, ISBN: 9788501092694 (preço de capa R$40,00)

Princesa Mecânica, ISBN: 9788501092700 (preço de capa R$40,00)

Sobre a Autora

Cassandra Clare é autora das sagas best-sellers Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais, assim como a coleção de contos em ebook intitulada The Bane Chronicles. Atualmente é co-autora de um livro ainda não lançado com Holly Black e produz mais duas sagas no Universo dos Caçadores de Sombras: The Dark Artifices (com lançamento do primeiro livro programado para 2015) e TLH (um “trabalho em progresso”). Em 2013, foi lançado nos Estados Unidos a enciclopédia The Shandowhunter’s Codex e o filme live-action baseado em Cidade dos Ossos (primeiro livro de Os Instrumentos Mortais).

Não é necessário ler todos os livros de The Shadowhunter Chronicles para compreender individualmente as tramas, embora isto livre o leitor de chateações (como as menções a Will na segunda trilogia de TMI) e proporcionará divertimento com os crossovers (como a participação maravilhosa do feiticeiro Magnus Bane, até então elo entre todos os livros. É impagável vê-lo provocando o ancestral de Alec e declarando seu descontentamento justamente pela família de seu futuro namorado).

Nota geral: ♥♥♥♥ (5/5)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s